terça-feira, outubro 10

Tempos sombrios...

Por Lindomar F de Almeida

As relações estão frias, a religiosidade em crise nos países do Norte. Edgard Morin e Heidegger já diziam que talvez 'não precisemos somente de tantos conhecimentos no mundo contemporâneo' . É uma grande verdade: a nossa fome atual é de SENTIDO. De outra forma, este fenômeno já está presente entre nós brasileiros.
Não podemos esquecer do capitalismo contemporâneo que na sua fase globalizada propagandeia uma homogeneização de 'valores', um mesmo padrão de vida, o estadunidense. Dessacraliza a pessoa, porque o que lhe interessa é a cabeça, os músculos, a força de trabalho e a produtividade. Não uma pessoa que pensa, uma pessoa que ama, uma pessoa portadora de transcendência. Imagine se todos os países almejassem ter o padrão de vida das famílias abastadas dos EUA? O mundo entraria em colapso, o mundo não se basta com aquele modelo. Aquela utopia extravagante jorrando poluentes na atmosfera, o consumo desenfreado gerador de regressões, adolescentices, infantilidades e corações desérticos. Atualizando: veja o muro da vergonha que será construído para proteger esta frágil utopia. Aldous Huxley já falava disto no seu 'Admirável Mundo Novo'.
O socialismo seria a resposta? Não sei. Só sei que temos que nos engajar em projetos por um mundo mais cooperativo, que nos faça sentir que estamos todos num mesmo barco, numa frágil 'teia da vida', usando a expressão de Capra. Só sei que temos que nos colocar em práticas de renovação espiritual constante para que a alma não seque.